quarta-feira, 28 de maio de 2014

Esclerose Múltipla pode não ser doença autoimune...tem cirurgia...em Lisboa

É uma doença desconcertante, que pode deixar a classe médica desconcertada. Porquê?
Neste momento ela é considerada auto-imune, ou seja acredita-se que nosso sistema imunológico ataca o próprio corpo e neste caso especificamente a bainha de mielina que cobre os axónios dos neurónios no cerebro, o que provoca uma interferência nos impulsos nervosos que pode levar a sintomas tais como fraqueza muscular, perda de visão, perda progressiva da função motora,  falta de equilíbrio e a uma variedade de outros sintomas neurológicos.

Como trata a medicina esta doença?
Na fase aguda, ou nos surtos quando os sintomas que diferem de pessoa para pessoa se agudizam, ou seja quando o processo inflamatório é mais grave usa-se cortisona, depois medicamentos que atuam no sistema imunológico, bloqueando-o de forma a não haver quadros inflamatórios tão agudos (surtos), a pessoa passa a tomar para o resto da vida imunomoduladores e imunossupressores.

Dentro da classe medica, uma voz se levantou e diz não concordar com o fato da Esclerose múltipla ser uma doença auto-imune, há 27 anos que o professor italiano Paolo Zamboni estuda esta doença, defende que ela deve-se a lesões provocadas não pelo sistema imunológico mas por insuficiência venosa, melhor por uma insuficiência venosa cronica que é detetada por ressonância magnética e por angiografia, que de fato se reconhece estar presente nas pessoas com Esclerose Múltipla.

Então se esta doença inflamatória e desmielizante do sistema nervoso central se deve a uma insuficiência venosa cronica cerebro-espinal, ou seja deixa de ser uma doença autoimune e passa a ser uma doença vascular, então o tratamento também tem de ser outro, e, é esta nova abordagem terapêutica que Paolo Zamboni e outros defendem - uma pequena cirurgia, tipo cateterismo.
Esta insuficiência de circulação sanguínea no cérebro deve-se à diminuição do calibres de vasos, principalmente nas vias de drenagem do sangue venoso, como a Veia Ázigos e Veias Jugulares internas. Com a cirurgia (que vai limpar ou desobstruir algumas veias do cérebro), a medicina consegue melhorar a congestão venosa cerebral, o sangue passa a ir a esses tecidos lesados e a todos os outros alimentando, oxigenando e drenando, melhorando assim os sintomas relacionados com a Esclerose múltipla.
Esta cirurgia, já foi feita em vários países europeus, nos EUA e até na India, mas continua a causar polemica e a ser negada pela Comunidade Cientifica Internacional, porque será?
No Canadá existe uma Associação que defende os doentes e os médicos  que queiram usar este tratamento, e que pode ser feito aqui mesmo em Lisboa, em Hospital particular.


sexta-feira, 23 de maio de 2014

Não leve este Ladrão para dentro de casa...Não o ofereça à sua Família

Quando era pequena, com 4 ou 5 anos vivia perto de uma aldeia chamada Á-dos-Loucos, onde diariamente um padeiro vinha vender pão, pão e bolos. Eu gostava tanto de bolos...eram as bolas de Berlim, os mil folhas, os pasteis de nata, etc... mas minha mãe dizia que não tinha dinheiro para me comprar um bolo todos os dias. Há 40 anos atrás a doçaria era cara, não era acessível à carteira de todos pelo menos diariamente, tínhamos que nos contentar com o pão-de-ló feito em casa que nem sempre saia bem.

As coisas mudaram, as prateleiras dos supermercados se encheram de ofertas doces, doces e económicas, ficando a doçaria acessível a todas as carteiras, hoje pode-se comprar 1,5 litro de "coca-cola" a partir de 40 cêntimos, há bolos mais baratos que o próprio pão, portanto a "falta de dinheiro" deixou de ser por enquanto a entrave ao açúcar. Por isso o aumento desproporcionado do consumo de açúcar nos dias atuais é assustador, assim cabe a cada um de nós a responsabilidade de querermos ser ou não "doces".

A pessoa fica nervosa e alguém diz: "Tragam um copo de água com açúcar..." a pessoa bebe o copo de agua com açúcar e a coisa passa. Passa porque o açúcar é um acido cristalizado que vai direto para o sangue e causa uma serie de alterações físicas e mentais. Cientificamente isto é explicado pelo encontro da insulina com um aminoácido chamado triptofano que é rapidamente convertido no cérebro em serotonina, um tranquilizante natural do corpo.

Atualmente tem-se alertado e escrito sobre os maus efeitos secundários do açúcar, mas este alerta não é novo, no ano de 1792 os melhores cientistas europeus fundaram uma Sociedade Anti-Açúcar, eles acreditavam que a peste Bubónica que tinha matado 30 000 pessoas em Londres tinha sido causada ou agravada pela grande ingestão de açúcar, porque os pobres de Inglaterra que viviam no campo e não tinham acesso ao açúcar não morreram.

O açúcar é um ladrão que colocamos dentro de nós para nos roubar, o açúcar para se metabolizar necessita de vitamina B1, B2, B3, magnésio, zinco, cálcio, deixa-nos tão ácidos, que ficamos à mercê de qualquer infeção.
Se eu bebo um sumo de maçã com beterraba, é um sumo rico em açúcar, mas também em nutrientes necessários para metabolizar todo o sumo, mas se eu bebo uma bebida feita de aromas sintéticos  com açúcar refinado ( refrigerantes), meu corpo tem de ir ás reservas internas para poder metabolizar este açúcar, isto significa que meu corpo vai ter de ir ás reservas orgânicas buscar substâncias para poder lidar com o açúcar, isto chama-se roubo orgânico, ele esgota as vitaminas do complexo B, como:
- Tiamina
- Riboflavina
- Niacina
- Vitamina B6
A deficiência destas vitaminas, produz:
- Fadiga
- Irritabilidade
- Confusão mental
- Depressão
- Sintomas de Stress
Além disso, o açúcar desequilibra o eixo do Hipotálamo- Hipófise- Pâncreas, ou seja o sistema endócrino. Quando se come muito açúcar, deixa de funcionar o sistema hormonal e aparece o Hiperinsulinismo.

Come-se açúcar, como resposta fisiologica, o pâncreas produz muita insulina, o que desce o açúcar no sangue, o que leva ao desejo de comer mais açúcar, e assim sucessivamente; a pessoa passa a viver entre valores altos de açúcar no sangue e valores baixos, estes picos acima e abaixo levam a uma grande quantidade de problemas.
Quando a curva da glicemia se altera continuamente a pessoa sofre de irritabilidade e de depressão, e a culpa não é da "crise" é do açúcar, é da "crise" interna.
Está demonstrado que a Hipoglicemia reactiva acompanha os sintomas mentais patológicos, o açúcar é muito, muito mau para as crianças, chega até a ser preocupante.
Conhecem alguma criança com problemas de hiperatividade/ falta de concentração que não consuma açúcar?
Pensem nisto...as crianças hiperativas e caprichosas podem ter estas atitudes por alterações na glicemia por dietas açucaradas; sintomas de hipoglicemia são:
- fadiga
- fome
-dor de cabeça
- falta de claridade mental
- visão borrosa
- náuseas
- ansiedade, ou até mesmo fobias e ataques de pânico.

Retire por duas semanas todo o açúcar que significa tudo o que é feito com açúcar industrializado à criança, substitua por fruta, a fruta tem o açúcar que o corpo da criança precisa e veja o que acontece.
É muito normal que diga: " meu filho se tranquilizou".

Pesquisadores acreditam que morrem 35 milhões de pessoas por ano devido ao açúcar, num artigo publicado no jornal Nature afirmaram: "um pouco não é problema, mas muito mata lentamente", e claro nosso Estado português precisa de ir buscar dinheiro aos contribuintes e não sabe como, dai esta noticia ter dado uma nova ideia económica, e assim para o ano que vem além do tabaco, álcool, os açucares e os refrigerantes também vão ser taxados ou seja vão ficar mais caros.
Visto isto...e tantas coisas mais...coisas más...claro...é hora de abandonar o açúcar.



quinta-feira, 22 de maio de 2014

Abacate é um Superalimento


Num estilo de vida mais saudável, retiramos alguns alimentos e introduzimos outros, um deles é o ABACATE.

É dos frutos mais gordos que existem, porque nós precisamos de gordura, não da gordura da carne, do leite e das margarinas, mas de gorduras mono e poli-insaturadas, que reduzem o pico e a resistência à insulina, melhoram a tolerância à glicose, que ajudam na digestão e no combate à prisão de ventre.

Se é criança...Coma Abacate
Se é adulto ...Coma Abacate
Se é idoso...Coma Abacate
Se é doente...coma Abacate
Se é saudável...é porque já come Abacate

O abacate é anti-inflamatorio, reduz as doenças do coração, aumenta o HDL (colesterol bom), reduz a formação de radicais livres, é rico em potassio o que equilibra a relação de sodio-potassio, por isso é obrigatório nas pessoas com tensão arterial alta, nas pessoas que sofrem com caimbras, além de ter ação diurética.

A Universidade da Califórnia mostrou que o abacate é rico em vitamina E e Luteina, que além de ter um efeito antioxidante e anticancerígeno, protege nossos olhos de cataratas e de degeneração macular, muito comum nos nossos idosos.

O Japão comprovou na Universidade de Shizuoka que esta fruta protege o corpo contra toxinas que prejudicam o fígado, e que dentro  de 22 qualidades de frutas pesquizadas, o abacate mostrou ser o que mais diminuía os danos provocados ao fígado por os mais diversos fatores incluindo pelo vírus da hepatite.
Já vos convenci, a comerem abacate?

Sabem aqueles idosos, com muito pouco peso, com problemas digestivos (Com pouca secreção de ácido clorídrico), curvados sobre o estomago e que emagrecem com muita facilidade, deviam de comer um abacate por dia, é que abacate aumenta a absorção de nutrientes pelo o corpo, além dos seus proprios nutrientes riquíssimos, veja:
- Vitamina E
- Vitamina B
- Fibra
- Ácido fólico
- Potássio, mais do dobro da banana

Já vai uns aninhos que eu introduzi o abacate, mas de inicio... é...eu não gostava muito...então comecei por juntar à salada uma única tira  de abacate... comia um abacate por semana. Hoje, amo abacate, ás vezes enquanto estou a fazer o almoço, chego a comer um inteiro...não sei se o meu corpo precisa, mas há dias que me sabe tão bem, que não sei explicar. Nesta altura do ano como de meio a um abacate por dia... experimente...não tem nada a perder, só a ganhar.

Veja como abrir o abacate:




Veja uma saladinha, bem gostosa feita com abacate:



E esta sobremesa deliciosa, que não prejudica ninguém:

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Vamos perceber a Rosácea?


Todos podemos corar!
Quantas vezes não ficamos vermelhos porque fizemos exercício físico, porque alguém disse alguma coisa que nos envergonhou, porque apanhamos calor ou frio ou até porque estivemos numa discussão, e tudo isto é normal.
O que não é muito normal é começarmos apresentar persistentemente as faces vermelhas, porque neste caso estamos na presença de um problema de saúde chamado - ROSACEA.

Nossa pele é irrigada por uma rede de vasinhos sanguíneos, e no caso da rosácea a pele do rosto fica vermelha, porque por alguma razão estes vasos inflamaram e como tal aumentaram de volume e dilataram, o que leva à presença de maior quantidade de sangue, o que dá a ruborização.
A doença surge mais nas pessoas de pele branca, mais nas mulheres, mas são os homens que atingem um grau mais severo da doença.

Pode-se considerar a Rosácea uma inflamação da pele mais propriamente uma inflamação vascular que pode atingir varias fases, primeiro o rosto começa por ficar rosado, depois o termostato da pele se altera e passa haver persistentemente uma coloração vermelha com dilatação dos capilares e edema associado a inflamação.  Nesta fase pode surgir comichão ou pequenas borbulhas, podendo alastrar para o nariz, queixo, pescoço e peito e nos casos mais graves a pele fica mais espessa e aparecem nódulos inflamatórios que aumentam o tamanho do nariz deixando-o bulboso, o chamado nariz de batata.
Também pode surgir nos olhos e denomina-se Rosácea ocular.

Causas
Segundo a Medicina, a verdadeira etiologia da doença ainda não foi encontrada, os pesquisadores que trabalham para a medicina convencional procuram um "bicho" ou uma causa genética, assim um estudo conduzido no México mostrou a relação entre um parasita e a rosácea.
O parasita Demodex está presente na pele facial de todos nós, mas estão mais concentrados nas faces das pessoas com rosácea. No entanto, não ficou claro se este aumento de parasitas é uma causa ou é uma consequência, ou seja não se concluiu se o parasita se encontra mais na face e assim desencadeie uma resposta de defesa que provoque a inflamação (ruborização) ou se a inflamação já existente leva à permanência destes parasitas.

O que se sabe é que existem fatores chamados gatilhos que rapidamente levam à exacerbação da rosácea, como:
        - Alimentos libertadores de histamina: álcool, picantes, lácteos,                     produtos de carne de porco.
        - Exercício físico intenso.
        - Comer os alimentos muito quentes, como beber a bica quente.
        - Stress emocional ou físico.
        - Ingestão ou uso de certos medicamentos vasodilatadores ou anti-               hipertensivos.
        - Substancias químicas presentes nos cosméticos.

Se, neste momento que estou a escrever estivesse aqui, a meu lado o naturopata Lezaeta ou outro, eles me diriam: "diz que a causa está no intestino". Sim, é verdade que para a Naturopatia, os desequilíbrios de Saúde começam ou desenvolvem-se sempre com a presença de alterações no intestino. Mas, o que acontece é que neste momento não só a naturopatia que aponta o intestino, muitas outras entidades dentro da ciência também estão apontar o intestino e alguns alimentos que criam essa condição patologica.

Sue Bac, uma nutricionista formada na Universidade de Londres, escreveu um livro "Living Gluten-Free", onde diz:
"A pessoa que tem uma sensibilidade ao glúten ou se sofre da doença celiaca, pode sofrer de sintomas extra-intestinais (noutro local do corpo). A Rosácea, a acne e outros problemas de pele como eczema são apenas alguns dos muitos sintomas extra-intestinais possíveis. Outros incluem a fadiga, dor nas articulações, dores de cabeça, depressão e a ciclos menstruais anormais."

A intolerância ao glúten ser a causa dos problemas de pele está a ganhar atenção da comunidade cientifica, o jornal European of Dermatology de 2006 referiu que cabe aos dermatologistas se familizarem com os sinais e sintomas da intolerância ao glúten, porque é uma causa potencialmente tratável em inúmeros problemas de pele, entre eles a rosácea.

Outra das causas apontadas é a hipoacidez estomacal, com presença da bactéria H.Pylori.

Tratamento
A maioria das doenças são multi-factorais, considerar que se deixa de comer pão e se resolve de uma vez por todas a rosácea pode não ser muito realista, no entanto eu aconselharia a pessoa a ficar longe do glúten um mês e ver os resultados.
Se a causa das doenças de pele são desequilíbrios intestinais, temos de fazer um protocolo de forma a reequilibrar o intestino. O intestino precisa de uma alimentação adequada, de pré e pró-bioticos, e de tratamento local dirigido a ele, além disso há que ter muito cuidado com fatores que o lesam como alimentos impróprios entre eles os lácteos, os açúcares, as farinhas, os medicamentos especialmente os antibióticos. Cuidado com os antibióticos  (tetraciclinas) receitados para a própria rosácea, porque pode numa primeira etapa diminuir a inflamação mas mais à frente a situação vai agravar.
Normalmente é receitado um creme que é o Metronidazol ou o Ácido Azelaico.

O Dr. Richard Gallo, da Universidade da California e pesquisador da rosácea defende que a causa está numa disfunção do sistema imunológico. E porquê que há disfunção do sistema imunológico?
Alguns apontam a acidez interna devido a uma alimentação extremamente acida, muito proteica, que leva ao gaste de nutrientes essenciais para controlar essa acidez, ficando em desequilíbrio o sistema imunológico. Por isso recomenda-se uma alimentação mais alcalina, com mais fruta, mais legumes, mais folhas verdes e sementes alimentos ricos em bioflavonoides que fortalecem as veias de forma a impedi-los de dilatarem e causar a rosácea.  As amêndoas, os grãos integrais e as folhas verdes contêm substancias anti-inflamatórias. Retire a carne, os lácteos, as farinhas com glúten , o açúcar, todas as margarinas e toda a comida industrializada.

O sol, e o calor são fatores gatilho para desencadear a rosácea, mas eu não recomendaria o não apanhar sol, talvez me colocar numa posição de não ter as faces diretamente ao sol, ou usar um chapéu, mas não apanhar sol é pior do que ter a doença, todos precisamos do sol, quando apanhamos sol fabricamos vitamina D que combate qualquer inflamação no corpo. Assim como o exercício, caminhar é necessário para uma boa saúde, para um bom sistema imunitário.

Percebamos que a rosácea ou qualquer outra doença não nos toca porque um "cupido mau" nos atingiu, a doença tem um objetivo, ela é a expressão de alguns mecanismos de defesa contra toxinas, e na tentativa do próprio organismo resolver o problema, porque normalmente o problema não é o sintoma. Na rosácea o problema não está no vermelhão das faces, porque isso é a expressão de uma reação inflamatória, o problema está porquê que o corpo está a inflamar, e sabe-se que o corpo inflama para se defender de algo que considera perigoso e invasor, e esta é a causa, por isso se está a falar no glúten, nos problemas digestivos e intestinais, porque é a partir deles que entram toxinas no nosso organismo.

Então como posso eu ajudar um corpo com um sintoma de rosácea?
Se eu quero ajudar o corpo e se ele inflama porque deteta toxinas, é logico que aquilo que tenho de fazer é limpar as toxinas e tentar com que não entrem mais.
Limpar, filtrar e eliminar foi importante na criação ou no aperfeiçoamento do organismo humano, a tal ponto que temos vários emunctórios, ou órgãos de limpeza.
Se uma pessoa sofrer de prisão de ventre, significa que não elimina adequadamente as fezes e que o emunctório intestino não está a funcionar corretamente, logo vai absorver substâncias menos próprias de matéria fecal, o que vai prejudicar os outros emunctórios como o figado que tem que filtrar essas substâncias; isto não tinha problema se não acontecesse constantemente e se os emunctórios não tivessem sobrecarregados.
Estes emunctórios trabalham muito, eles têm de limpar as substâncias resultantes do metabolismo celular e as substâncias toxicas que entram para a circulação sanguínea, portanto nós só adoecemos quando estes "generais" ficam cansados e abaixam armas.
Dentro de nós tudo funciona em uníssono, por isso quando um emunctório está a funcionar mal, ele é compensado pelo aumento de eliminação de toxinas de outro emunctório, e é muito comum o corpo desviar para o emunctório - pele.

Resumindo o tratamento passa por Desintoxicar, Alcalinizar e Regenerar e isto é feito através de uma alimentação alcalina, de técnicas naturais locais  sobre o corpo de forma a eliminar e a equilibrar a energia, a temperatura (se as faces estão sempre quentes, algo no corpo vai estar frio, como as mãos ou os pés)e o sangue, atraves de plantas fitoterápicas, de medicamentos homeopáticos que ajudam estes processos ao mesmo tempo que controlam a inflamação e o vermelhão no rosto.
O tratamento tem de ser local e geral, porque a intoxicação que afeta a epiderme afeta todo o corpo.

Não vou dar uma receita, porque não há uma "receita rosácea", há sim tratamento e muito a fazer para com a pessoa que tem rosácea, há a rosácea da Maria e a rosácea da Ana, e as receitas podem ser diferentes.

Este poste foi bem longo, é que há dias que tenho muito a dizer...  quero terminar acrescentando que o nosso corpo nunca está contra nós, ele tenta sempre nos proteger...Há que entende-lo.






terça-feira, 20 de maio de 2014

As doenças cronicas desenvolvem-se em nós de uma forma assustadora...


As doenças cronicas desenvolvem-se em nós de uma forma assustadora, cronico significa que vai ser para o resto da vida, que não vai haver uma saída para aquela situação.
Para mim tem de haver sempre Esperança, outros Caminhos a percorrer, de forma a obter outros resultados, não podemos ser uma geração de resignados, não podemos resignar os nossos filhos ás doenças cronicas, temos - nós mães - de acreditar, de perceber o quanto de perfeito nós somos, de perceber que nossas células se renovam diariamente, logo há sempre esperança para surgir novas células, novo sangue, novos tecidos, novos órgãos e novos corpos.

Há que entender que por detrás das doenças atuais chamadas cronicas, há o stress. O stress não é só um estado psicológico, existe o stress emocional e o stress físico derivado da má alimentação, da má digestão, da má eliminação, e isto tem de ser levado em conta, se queremos mudar do estado de "doentes" para o de "menos doentes".

A má nutrição nos faz muito mais susceptíveis à doença, e nos dias de hoje existe uma grave desproporção de fatores essenciais nutricionais na dieta moderna, coisas como aditivos, estimulantes, colorantes, conservantes, etc.
Quando mais mal nutridos estamos, mais entramos em stress, stress psicológico e stress físico, então a solução passa por romper este circulo, não só ingerindo mais nutrientes necessários ao organismo humano, como retirando aquilo que o prejudica.
O que mais agrava o stress:
                                         - Excesso de açúcar
                                         - Cafeína
                                         - Álcool
                                         - Gorduras saturadas
                                         - Sódio
                                         - Comida industrializada

A doença aumenta a necessidade de nutrientes, ou seja quando estamos doentes temos que comer melhor, temos que ajudar o corpo a diminuir o "pânico" interno que ele tem contra nossas emoções negativas e contra o combustível errado que lhe damos.
Estar doente e continuar com um pequeno almoço, com leite e bolo ou pão branco, com almoço de costeletas com batatas fritas, ao lanche umas bolachas e iogurte  e ao jantar uma sopa com sandes de chourição, fiambre, queijo ou então mais carne guisada com massa; e para completar a ementa do dia, um copo de leite ao deitar.
Esqueça, esta dieta é pró-inflamatória, não acredito que nenhum quadro clínico se altere com esta alimentação e se junto ainda beber álcool, café e fumar...nem sei como o corpo aguenta...temos de ter uma maquina muito perfeita.
Será que não está na hora de deixarmos de ser "pacientes" e passarmos a ser "actuantes" da nossa própria saúde?



quarta-feira, 14 de maio de 2014

Sabe qual é o alimento que mais pode provocar asma?


O asmático vai ao medico, ao alergologista, ao pneumologista e vem com uma receita de "bombinhas", umas que abrem rapidamente os brônquios, outras que dilatam mais lentamente, outras que bloqueiam a inflamação, enfim são "apaga fogos" que por vezes em casos graves podem ser necessárias.
O objetivo principal do medico e do terapeuta no caso de asma é fazer com que os brônquios não inflamem, por isso se usa o Montelucaste que impede a inflamação dos brônquios e os corticoides como o pulmicort que são indicados para reduzir a inflamação.
Vemos assim , que a ação principal a conseguir, é a redução da inflamação, e o corpo não inflama sem razão, por isso não é suficientemente inteligente estar-se a tomar continuamente medicamentos que controlem a inflamação e não perguntarmos " O que é que dentro de mim causa a inflamação, a inflamação brônquica?

Inúmeros estudos demonstram a relação do consumo de leite e seus derivados com a asma, também o demonstram com outras doenças, mas hoje refiro-me unicamente à asma.
Vou ser direta e dizer que quem tem asma NÃO pode tocar em leite e seus derivados.
É verdade, que o leite tem uma conotação de alimento saudavel, mas não é, é dos alimentos mais alergénicos, a alergia ao leite não se manifesta logo a pós sua ingestão, é uma alergia tardia, uma alergia que surge dias após a ingestão do alimento...porquê?
A relação do leite com as alergias tardias dá-se, porque nosso organismo não digere a Beta-lactoglobulina, uma das proteínas do leite de vaca e tem muita dificuldade em digerir a alfa-lactoalbumina, a lactoglobulina e a caseína. Esta dificuldade em digerir o leite vai provocar inflamação na mucosa intestinal, e veja quanto de inflamação, visto que todos os dias as pessoas bebem leite, comem iogurtes, queijo e doces feitos com leite como gelados, etc... esta persistente inflamação vai alterar a permeabilidade da mucosa intestinal e vai facilitar a entrada de macromoléculas, metais tóxicos e outras substancias que esta mucosa em condições e temperatura normal ia filtrar e não permitir a entrada para a circulação sanguínea.
Ao entrarem, estas substâncias vão provocar uma reação no organismo, visto que são vistas como estranhas (antígenos) e que necessitam de ser eliminadas, para isso o corpo libera histaminas, leucotrienos, ou seja o corpo produz substâncias inflamatórias porque para ele, para eliminar qualquer coisa estranha do corpo, tem de a inflamar. Esta inflamação vai surgir no local onde as ditas substâncias estão ou no local que o corpo escolheu para poder elimina-las e se o órgão alvo for o pulmão vai haver asma.
Fiz-me entender, porque digo que quem tem asma não pode beber leite nem derivados?
Porque é um processo de pescadinha de rabo na boca, come-se coisas que inflamam e toma-se medicamentos que desinflamam...em alguns casos o saldo fica igual e até funciona, mas funciona à custa da saúde, porque todos os medicamentos têm efeitos secundários que se somam ao longo dos anos, por isso se diz que a asma é uma doença cronica, que não tem cura, desta forma nunca pode ter, estamos sempre a promover a causa logo o efeito será sempre o mesmo - a asma, isto senão surgir com a continuação situações patológicas mais graves.
Se tem asma, não beba leite... mesmo que não tenha asma também não beba leite...desconfie do leite...na Natureza ele existe e é excelente para o bezerro.


segunda-feira, 12 de maio de 2014

A ciência confirma que TODOS TEMOS DE APANHAR SOL...evitar o sol duplica o risco de morte


Já reparou que o sol é uma das maiores maravilhas, sem ele não havia vida na Terra, nós não estávamos vivos..os Egípcios davam tanta importância ao sol que tinham o Deus Rá, que era o Deus Sol e o criador de todos os outros Deuses...toda a vida o Homem viveu sob o Sol.
Mas, nos últimos tempos algumas entidades se levantaram e alertaram "cuidado com o sol...ele provoca cancro...proteja-se com protetor solar...", e o povo ficou com medo...e muito se vendeu de protetor solar e de óculos escuros.

Pesquisadores da Suécia, fizeram um estudo durante 20 anos, ou seja começou em 1990 e constataram que não apanhar sol dobra o risco de morte.
O estudo foi feito no Instituto Karolinska, em Solna onde se avaliou cerca de 30000 mulheres e suas vidas com exposição ou sem exposição ao sol. Algumas destas mulheres morreram durante o estudo e verificou-se que morriam mais as que apanhavam menos sol.
O Dr. Pelle Lindqvist disse " os resultados deste estudo mostraram claramente que a mortalidade dobra em mulheres com pouca ou nenhuma exposição ao sol, e países com baixa intensidade solar pode ser prejudicial para a saúde das mulheres."

O Sol foi apontado como a principal causa de cancro de pele, mas é precisamente o contrario, os melanomas surgem nas pessoas que evitam o sol, e faz todo o sentido, se não apanharmos sol, não fabricamos vitamina D e sem esta ficamos em risco de desenvolver tanto cancro como todas as condições a associadas à deficiência dela, e esta deficiência  está-se a tornar uma pandemia, as pessoas trabalham e vivem sempre dentro de casa, as crianças brincam dentro de casa e nunca apanham sol.
A revista Advances in Experimental Medicine and Biology diz: " A deficiência em Vitamina D tem sido associada a uma pandemia com outras consequências graves, incluindo o aumento do risco de cancros comuns, doenças auto-imunes, doenças infecciosas e doenças cardiovasculares."

Como em tudo na Vida o Bom Senso tem de liderar, não devemos nos pôr a esturricar ao sol, mas nossa pele nossos olhos precisam dos raios do sol.
Não entendo quando me dizem que o medico mandou não apanhar sol, mesmo as pessoas com cancro, sabe-se que a deficiência em vitamina D é uma das causas que pode levar ao cancro, à esclerose múltipla, ás depressões, à osteoporose e osteopénia...viver longe do sol não é natural, se não é natural nunca pode ser benéfico. Antigamente uma das terapias naturais era a Helioterapia em que um dos tratamentos dados era a exposição solar por 20, 30 e até 60 minutos diários, hoje vai-se á farmácia e compra-se um suplemento de Vitamina D, mas será que é a mesma coisa, será que tem o mesmo efeito? Eu tenho as  minhas duvidas, para mim todos nós temos de ter a consciência de que precisamos de banhar-nos em Luz Solar.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Adote a Beterraba na sua alimentação diária

Cada legume é um ser, no caso da beterraba é um ser vegetal, o seu reino vem dos tempos pré-históricos.
Segundo a historia, só no sec. 19 é que o Homem lhe deu importância; os ingleses restringiram o acesso à cana do açúcar, e como "não se podia viver sem coisa doce" Napoleão decretou que a beterraba devia de ser usada como fonte de açúcar.

A beterraba é um dos legumes que mais recomendo, tanto a raiz como as folhas.
Muitas pessoas não gostam do sabor a "terra doce" da beterraba, mas as papilas gustativas moldam-se facilmente, basta ir adicionando aos poucos. Todos os dias junte à salada do almoço, um pouco de beterraba crua (sempre crua) ralada, vá aumentando a quantidade consoante vai-se adaptando ao gosto, não tem de fazer sacrifícios, tem de dar tempo de adaptação ao paladar.

Porque é importante comer Beterraba?

Porque baixa a Pressão Arterial
Uma das causas da tensão alta é o endurecimento das artérias, o oxido nítrico contraria esta rigidez, ajuda a relaxar e a dilatar os vasos sanguíneos o que diminui a pressão arterial. A beterraba é rica em nitratos que dentro do nosso corpo se convertem neste oxido nítrico tão necessario.
Um estudo mostrou que beber um copo de sumo de beterraba desce a tensão arterial, portanto a beterraba é para ser introduzida na alimentação de todos os que têm hipertensão.

É Anti-inflamatória
Nos dias de hoje, os alimentos mais importantes são os que pela sua Natureza são anti-inflamatórios, pois o que há mais é inflamação.
A beterraba é uma fonte quase única, de betaína, um nutriente  que desce os valores da proteína C reactiva, interleucina-6 e o fator de necrose tumoral, tudo marcadores inflamatórios.

Tem Propriedades Anti-Cancro
A cor da beterraba deve-se aos seus maravilhosos fitonutrientes,como a betaína, um antioxidante natural que se tem revelado importante no combate ao cancro, estudos apontam que a beterraba reduz as formações cancerosas principalmente no cancro de pâncreas, mama e próstata. Não há duvida de que a beterraba é um dos legumes principais a comer no caso de cancro, lembremos-nos de Gerson, um medico que tratou imensos casos de cancro com medidas naturais de ajuda ao corpo, e uma delas era beber sumo de beterraba.

Rica em Nutrientes
É rica em Vitamina A, que auxilia o bom funcionamento da visão, vitaminas do complexo B, importantes para o sistema imunológico, vitamina C e muitos minerais.
Alguns médicos não aconselham a beterraba aos diabéticos, visto ser rica em açúcar, o que eu não concordo, porque não podemos ver os nutrientes isolados, a beterraba tem açúcar natural, mas também é rica em fibras o que auxilia no controle glicémico.


A Naturopatia recomenda a beterraba em todas as dietas de desintoxicação, desde de sempre foi considerada uma líder para purificar o sangue e o fígado.

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Devem as pessoas com Cancro comer Mel?


Uma das recomendações dietéticas que eu dou para quem tem cancro é a abolição total do açúcar, do açúcar branco, amarelo e mascavado, assim como os sumos puros de fruta, como por exemplo o sumo de laranja. Sumos feitos com legumes, fruta e muito verde tem tudo de benéfico, mas somente fruta, eu tenho as minhas duvidas em caso de cancro.
No entanto a fruta inteira deve ser consumida, até porque fruta, legumes, vegetais e sementes são para mim alimentação do Homem, ela nutre, limpa, hidrata e regenera, além disso nossas células precisam de glicose ou seja "açúcar" para produzir energia. Mas, tenhamos em mente que a palavra AÇUCAR é um termo geral para dezenas de estruturas químicas vitais do nosso corpo, e o açúcar obtido pelo corpo ao se comer uma maçã ou uma cenoura não tem de certeza absoluta a mesma ação que beber um copo de agua adoçada com uma colher de açúcar refinado e produzido industrialmente

E o mel?
A literatura biomédica já apontou mais de 69 benefícios do mel para a saúde, mas um estudo recente publicado na revista Moléculas que pode ser visto aqui, chama atenção para as suas propriedades anticancerosas e diz o seguinte:
" O mel é um produto natural conhecido pela sua ação antiinflamatória, antioxidante, antibacteriana, antihipertensivo e com efeitos hipoglicemiantes. Este artigo foca-se no papel do mel na modulação do desenvolvimento e progressão de tumores e cancros. Este estudo analisou com as evidencias disponíveis os efeitos antimetastásicos, antiproliferativos e anti-cancerosos do mel em varias formas de cancro.
Estes efeitos do mel, foram exaustivamente investigados em certos tipos de cancro, como o da mama, figado e cancro do colon, menos investigados mas com dados promissores foram analisados os cancros de próstata, bexiga, endométrio, rim, pele, colo do útero e osso."

O estudo também serviu para se perceber que ações o mel tem no nosso organismo que iniba o crescimento e a proliferação do cancro e descobriu-se que o mel regula o ciclo celular, ativa a via mitocondrial, induz a permeabilização da membrana exterior mitocondrial, induz a apoptose, ajuda na modulação do stress oxidativo, melhora a inflamação, modela a sinalização da insulina e a inibe a angiogénese, tudo coisas importantes para o controle do cancro.

É o mel um alimento a consumir?
Sim...tanto as pessoas com cancro como as que não o têm, mas atenção...o mel é um alimento muito concentrado, por isso basta pequenas quantidades.


quarta-feira, 7 de maio de 2014

O Glúten pode Iniciar e Perpetuar Doenças


Glúten é uma palavra derivada do latim que significa cola; é uma proteína viscosa que se encontra nos cereais como trigo, cevada, centeio e aveia, ou seja há muito que é consumida.
Mas, neste momento tem uma guerra aberta contra ele, parece que ele é bem prejudicial para o nosso intestino, e tudo aquilo que prejudica o intestino diminui a saúde e é causa de doenças.

Normalmente os alimentos industrializados apresentam no seu rotulo o alerta "contém glúten", importante para as pessoas intolerantes ou alérgicas ao glúten como as celíacas.
A doença Celíaca é uma reação autoimune do organismo contra o glúten, ou seja as células de defesa atacam esta proteína e ao mesmo tempo também as paredes do intestino, provocando uma atrofia na mucosa o que vai impedir a normal absorção de nutrientes. Acredita-se que a doença celíaca seja desenvolvida por pessoas geneticamente suscetiveis, mas lembremo-nos de que  o genoma é como um bloco de mármore, o que irá tornar-se em termos de escultura depende do ambiente, pois nem todos os genes se expressam.

Neste momento, estudiosos de Harvard e outros têm alertado para os transtornos relacionados ao glúten, o gastroenterologista pesquisador Alessio Fasano chega mesmo a dizer que " a dieta sem glúten não é uma moda é uma necessidade médica".

Porquê que o Glúten é mau?
Porque aumenta a permeabilidade da parede intestinal.
Esta permeabilidade permite que uma variedade de produtos que normalmente eram excluídos, passem á corrente sanguínea, como bactérias, proteínas mal digeridas, virus, etc.
Estas bactérias, proteínas e vírus ao chegarem à corrente sanguínea disparam uma resposta de defesa por parte do organismo pois são consideradas ameaças, nem deviam de ter entrado, isso só aconteceu porque o intestino foi danificado pelo glúten, pelos antibióticos, anti-inflamatórios, antiácidos.
O corpo para fazer frente a esta entrada de substâncias estranhas, inflama, ele foi programado assim - inflama para que os mediadores inflamatórios atraiam os glóbulos brancos conhecidos como leucócitos, que são como operários capazes de limpar tudo o que está mal ou a mais dentro do corpo, neste caso limpar aquilo que erradamente entrou através do intestino lesado.
Até aqui tudo bem, mas a situação complica-se, torna-se cronica porque diariamente estamos a consumir alimentos, neste caso o glúten que está continuamente a agredir o intestino, assim continuamente a passar substâncias nefastas para a corrente sanguínea e continuamente o corpo está a inflamar e essa inflamação vai ser mais acentuada onde se localizar as ditas substâncias estranhas que entraram.
Por isso, a inflamação é a pedra angular das doenças que todos nós fugimos, as doenças autoimunes como  diabetes tipo 1, Alzheimer, esclerose múltipla, artrite reumatoide, lúpus, etc.

Qual é a solução?
A prevenção, a cura ou qualquer tratamento tem de levar em conta a Saúde e a Integridade da Parede Intestinal, coisas como o glúten, agua com cloro, antibióticos e falta de próbioticos, tudo isto representa ameaça à integridade da parede do intestino e nos predispõe à inflamação cronica, mãe de todas as doenças.
 Temos de aprender a respeitar esta parte do corpo tão delicada mas tão precisa, pois é demasiado influente na Saúde do nosso sistema imunológico.

De pouco adianta fazer exames através dos anticorpos para saber se tem intolerância ao glúten, até porque há poucos métodos de diagnostico para observar esta situação patológica, o melhor é ficar 3 meses sem consumir glúten e observar como o organismo reage, principalmente se tem uma doença autoimune.

Há muito que se consome pão, portanto há muito que se consome glúten, o problema é que estamos a consumi-lo em excesso e hoje ele é processado de maneira diferente, a molécula em vez de ser partida é espremida indo inteira para o aparelho digestivo, além dos pesticidas e das mutações pelas quais estas sementes tem passado nos últimos anos. Para tudo isto o nosso corpo só conhece uma resposta que é INFLAMAR, por isso vivemos numa sociedade de pessoas inflamadas - logo - doentes.
Mas não devemos de desistir, antes pelo contrario, aprender e acreditar que nunca é tarde para reverter um quadro clínico.





terça-feira, 6 de maio de 2014

A causa por trás da Síndrome do Pânico


A Síndrome do pânico é caraterizada como seu nome indica por ataques de pânico, de medo, de ansiedade levada ao extremo. As crises surgem inesperadamente e podem ser tão intensas que a pessoa pensa que vai morrer, em 30 segundos a pessoa que estava a sentir-se bem passa a sentir: boca seca, tremores, taquicardia, falta de ar, mal estar na barriga ou no peito, sufocamento e tonturas, por isso a pessoa vive com medo de ter outro ataque, o que leva a alterar o seu comportamento em casa, na escola ou no trabalho.


Estas crises de pânico eram ou ainda são pela medicina convencional atribuídas a fatores nervosos ou desequilíbrios psicológicos, mas tenhamos em conta que todo o fenómeno psicológico tem como base um fenómeno físico, nada é puramente psicológico, aquilo que faz disparar o pânico numa pessoa é o mesmo que existe em nós e que desencadeia uma reação de fuga e luta numa situação de emergência.
Então, que desequilíbrio físico pode existir que contribua para os ataques de pânico?
A Hipoglicemia...mais propriamente a Hipoglicemia reativa.

O que é Hipoglicemia?
É uma diminuição no nível de açúcar (Glicose) no sangue, que pode produzir uma variedade de sintomas e efeitos, como um fornecimento inadequado de alimento ao cérebro, resultando em alterações das suas funções.
Dentro do padrão de normalidade fala-se que o valor normal da glicose varia entre 70 e 100, no entanto cada pessoa é diferente, existem pessoas com valores em jejum de 70 e que não acontece nada e outras com o mesmo valor em que o corpo dispara com todos os sintomas da hipoglicemia, que são: tremores, visão turva, suores, taquicardia, sensação de desmaio, ou seja os mesmos que dos ataques de pânico.
Claro que temos de fazer analises, elas dão-nos uma ideia, mas também temos de ter olho clinico e ver o doente, perceber o que não vem escrito em exames, porque toda a doença ou todo o desequilíbrio é um processo individual.

O grande alimento do cérebro é a glicose, no entanto como temos um organismo perfeito, ele também consegue após 24 horas de jejum usar corpos cetónicos, mas a glicose é o combustível mais usado, e quando dizemos que houve uma diminuição dos valores da glicose no sangue, significa que a disponibilidade desse combustível para o cérebro baixou e falta energia para o sistema nervoso central. Como fomos feitos para resolver tudo o corpo reage e produz substâncias que faça tirar a glicose de algum lugar e mandar para o cérebro, por exemplo o corpo começa a aumentar a produção de cortisol, de adrenalina para ajudar. O aumento destas hormonas no organismo vai levar a sintomas do tipo lutar ou fugir como a taquicardia, mãos frias, transpiração, visão turva, ver luzinhas e sensação de desmaio ou adormecimento das extremidades, tudo sintomas semelhantes aos do ataque de pânico. Há quem defenda que não existe síndroma do pânico sem hipoglicemia, porque o que dispara a sintomatologia da sensação de "eu vou morrer" é a hipoglicemia.
Mas não estarão os problemas psicológicos também implicados?
Claro que sim, o stress pode agravar assim como outros transtornos emocionais, mas fisiologicamente se as pessoas não tiverem hipoglicemia não vão desenvolver a sensação de pânico, podem até ter outros sintomas, mas o de pânico não.

Para se resolver este desequilíbrio, a pessoa tem de corrigir o corpo, e não o faz com comprimidos, tem de ter uma alimentação adequada para que a glicemia se mantenha dentro dos padrões normais da própria pessoa. Vários fatores podem estar por trás da hipoglicemia, como uma alimentação inadequada, uma resistência à insulina ou até uma síndrome fúngica com disbiose intestinal.
Não tem sentido a prescrição de calmantes, não tem sentido a psicoterapia com conversa disto e daquilo enquanto não se resolver o problema da hipoglicemia e o problema da hipoglicemia - já que é falta de açúcar- não se resolve a comer açúcar, antes pelo contrario, o açúcar pode ser uma das causas...mas fica para outro poste, que este já vai longo...falarei mais sobre a causa e o tratamento da hipoglicemia do meu ponto de vista.


segunda-feira, 5 de maio de 2014

Como ajudar as crianças a serem melhores alunos


Todos nós amamos os nossos filhos.
Todos nós queremos o melhor para eles.
Todos nós nos esforçamos para que eles tenham uma boa aprendizagem e com isso um futuro melhor.

Mas, em algumas situações as coisas correm menos bem, as crianças não se concentram, as notas são más,...aqueles problemas pelos quais alguns pais e filhos passam.
O que fazer para ajudar?

Exercício...Exercício e mais exercício...
Manter as crianças ativas é uma excelente maneira de aumentar a concentração e desta forma aprender mais.
O exercício é muito importante para o cérebro dos nossos filhos, sabe-se que a atividade física tem um resultado direto na função cerebral, porque estimula o cérebro a trabalhar na sua capacidade máxima, fazendo as células nervosas se multiplicarem e fortalecendo as interconexões.

Durante o exercício, seu corpo produz o chamado fator neurotrofico que é uma proteína  que cria outros produtos químicos que promovem a saúde neuronal com ação direta sobre as funções do cérebro incluindo a memoria e a aprendizagem.

Quando se faz exercício físico maior fluxo de sangue e de energia chega ao cérebro, e com isso toda a fisiologia bioquímica é alterada o que melhora o nosso bem-estar assim como aumenta o poder cerebral.

Antes de perguntarmos: " ...já fizestes os trabalhos de casa?...porque não perguntar: ..." já fizeste o exercício de hoje?...
Os ponteiros não param, e os dias tornam-se pequenos, por isso as crianças têm de ser incentivadas a fazerem escolhas melhores, têm de trocar a televisão e os jogos pelo o exercício.

Sabe-se que as crianças com problemas de hiperatividade, falta de concentração e distúrbios emocionais, como fobias, medos e alterações de humor, melhoram imenso com atividade física tanto isolada como em grupo.
No entanto, não nos podemos esquecer, que só podemos exigir aquilo que nós somos capazes de dar, por isso temos de também nós - pais - dar o exemplo e começar a fazer exercício físico.