quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Tratamento Homeopático da Cistite


A cistite é uma inflamação da bexiga que atinge sobretudo as mulheres, mas da qual podem igualmente sofrer os homens e as crianças de ambos os sexos.
 As mulheres estão mais sujeitas a esta doença porque a sua uretra é muito mais curta, de tal maneira que a bactéria Escherichia coli, causadora da maior parte das cistites, pode mais facilmente invadir a bexiga.

Muita coisa pode ser feita a nivel da prevenção e da cura tanto das cistites agudas como nas cronicas, mas hoje trago-vos 2 medicamentos Homeopáticos que de uma forma geral e sem diagnostico preciso, pode ajudar:

Berberis-Homaccord Gotas
Este medicamento atua nos processos inflamatórios e irritativos a nivel do trato urogenital.
Tomar 10 gotas 3 vezes ao dia fora das refeições.






Cantharis 5CH em Grânulos
Tomar 3 granulos de cada vez.
Em fase aguda tomar varias vezes ao dia fora das refeições.
Deixar dissolver debaixo da lingua.


Alfalfa - A Mãe de todos os Alimentos


É uma sementinha bem pequenina, mas germinada dá à luz um superalimento.
Os árabes a batizaram com o nome de “ al-fac-facah” que significa “ mãe de todos os alimentos”.

Alfalfa é uma das fontes mais ricas de minerais, é um alimento Biogenico.
Mas, no poste de hoje somente vou falar da alfalfa e da sua riqueza em proteínas.

Um dos alimentos que recomendo para nutrição proteica é o germinado de alfalfa, pois é rico em proteínas de excelente qualidade e de fácil utilidade, superior hás da carne e dos ovos.
Para a formação de proteínas são necessários os aminoácidos específicos para cada uma delas. Se falta algum aminoácido formam-se proteínas incompletas.
Por isso, vejam a importância de se consumir um alimento que possua todos os aminoácidos – a alfalfa.

Germinar Alfalfa

Colocar num frasco largo de vidro 3 colheres de sopa de sementes e cobrir com bastante agua.
Deixar toda a noite.
A boca do frasco deve ser tapada com um pedaço de tule e um elástico, de forma a podermos escorrer a agua.



2 ou 3 vezes por dia, temos de lavar bem as sementes e escorrer.
Deixar o frasco invertido (boca para baixo), e meio inclinado.
Em 2 ou 3 dias estão prontas a comer.


Há muito mais a dizer sobre a Alfalfa e seus benefícios no corpo humano, mas fiquem com a grandiosidade do seu nome " a mãe de todos os alimentos". 


quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Já ouviu falar em Leucocitose Digestiva?

imagem copiada net

São muitas as razões ou intuições, para se comer cru.
Uma delas é a LEUCOCITOSE DIGESTIVA.

Quando temos uma infeção, a inteligência do corpo aumenta os glóbulos brancos (leucocitose) para que estes tomem uma ação defensiva contra os “invasores”.

Mas…o que é que as infeções têm a ver com o comer alimentos crus?
Não tem nada a ver com alimentos crus – sim – com alimentos cozidos.

Suponha que toma um pequeno-almoço constituído por um copo de leite e um pão com manteiga e fiambre.
O que acontece?
Na sua mente nada, no seu corpo sim.

Os níveis normais de leucócitos (glóbulos brancos) no sangue, são de 6000-8000 por milímetro cubito, ao comer o acima descrito ou qualquer outra comida cozida, os níveis sobem em dez minutos para 10000, e em 30 minutos para 30000, voltando ao normal ao fim de 1 hora e meia. Isto é conhecido como a Leucocitose digestiva.

 A experiência mostra-nos que o alimento cozido é para o nosso corpo como um “invasor”.
Faz-nos pensar?

Quando comemos frutas e legumes crus não se dá este aumento dos glóbulos brancos.
Mas… a boa noticia para quem gosta muito do cozido, é que esta reação também não se produz, quando comemos cozidos APÓS CRUS.
Observou-se que se comêssemos alimentos CRUS ANTES DOS COZIDOS, evitava-se esta reação inflamatória.

Quem pensou nisto e em muitas outras coisas foi Manuel, que decidiu comer daquilo que a horta e o pomar lhe ofertam. Foi à TVI contar sua historia, vejam aquihttp://video.pt.msn.com/watch/video/voce-na-tv-manuel-so-come-frutas-e-legumes/295sg2ny1?cpkey=8867bce2-c715-41c1-adfa-0fcadb237fa3%7C%7C%7C%7C

O que é a Alimentação Viva?



A alimentação Viva, é uma alimentação que mantém e cria Vida.
A ciência da nutrição estuda e oferece conhecimentos para termos uma alimentação rica em nutrientes, tanto de macro como de micronutrientes necessários ao funcionamento do organismo.
No entanto esta mesma ciência desconsidera uma questão primordial que é a energia vital, a vida nos alimentos.
Por exemplo, eu tenho 2 nozes uma cozida e uma crua, as 2 têm os mesmos nutrientes, mas comer uma e comer outra é diferente da mesma forma que é diferente, se eu as colocar na terra, uma está cozida, morta e sem enzimas, a outra está crua, viva e cheia de enzimas, por isso vai brotar até ser arvore.

Para que os nutrientes dos alimentos sejam utilizados pelo corpo é necessário varias reações químicas, e estas só acontecem na presença de enzimas, e estas enzimas encontram-se nos alimentos vivos, alimentos cozidos estão isentos de enzimas, por isso para os digerirmos usamos as nossas próprias enzimas.

Enzima é o termo geral usado para designar "proteína catalisadora fabricada dentro das células de um ser vivo", seja animal ou planta, onde há vida há enzimas.

Todas as atividades do nosso corpo são suportadas por enzimas, como a digestão e absorção, o metabolismo das células velhas a serem substituídas pelas células novas, a decomposição química das toxinas e a desintoxicação, só são possíveis como resultado das funções das enzimas.
Existem mais de 5000 enzimas que trabalham no nosso corpo e são divididas em dois tipos de enzimas: as que são produzidas pelo corpo e as que entram no corpo através da comida. 
As que são produzidas pelo corpo, mais de 3000 são fabricadas através das bactérias benéficas do intestino.
Por isso a importância de comer alimentos crus, ou aumentar a ingestão deles, não só porque cedem suas enzimas, mas também porque criam um ambiente gastrointestinal ativo a produzir enzimas.
No nosso  corpo enquanto houver enzimas, haverá vida, ao acabar o saldo enzimático, não há tratamento, fármaco, cirurgia que nos dê vida, ficamos "cozidos" semelhante à historia da noz acima.

Por sabermos tudo isto, é que se faz urgente desenvolver um estilo de vida que em vez de gastar, aumente as enzimas no nosso corpo.
É necessário para quem está saudável, e obrigatório para quem está doente, seja qual for a doença, um dos tratamentos base devia ser o aumento de enzimas, por isso alimentação crua e viva pelo menos em 80%, tem dado resultados muito positivos na cura de doenças, porque cria o equilíbrio ao aumentar as enzimas.

 O meu mestre Lezaeta à mais de 100 anos já  recomendava como base de seus tratamentos e sem ter conhecimento das enzimas, uma alimentação essencialmente crua baseada em frutas e vegetais.
Eu defendo a alimentação viva e crua porque é uma alimentação enzimática, como tal está na base do reequilíbrio do corpo, além disso nenhuma outra espécie viva da Natureza come alimento cozido, apenas o Homem desenvolveu este tipo de alimentação cozida, refinada e industrializada.

Lacticínios - São benéficos?

imagem copiada net

O texto abaixo é de Francisco Varatojo, diretor doCentro de Macrobiotica Português.

"Na época actual, a população adquire cada vez mais a consciência de que uma boa alimentação é vital para a manutenção da saúde e bem estar. Cada vez mais pessoas reduzem o consumo de carne, açúcar, “fast food” e procuram nas lojas e mercados produtos naturais, alimentos integrais e biológicos.
No entanto, devido a toda a publicidade veiculada na comunicação social e em grandes cartazes espalhados nas ruas, o leite e os lacticínios continuam a ser considerados alimentos saudáveis, essenciais, quase sacrossantos: necessitamos de beber leite todos os dias para obter o cálcio necessário à formação e manutenção da massa óssea e assim evitar a osteoporose.
Escrever um artigo refutando tais afirmações e mencionado que o leite e os produtos lácteos não são assim tão saudáveis pode parecer uma total heresia, mesmo um perigo para a saúde pública. No entanto, alguns dos mais conceituados nutricionistas e médicos mundiais afirmam categoricamente que o consumo de produtos lácteos não evita a osteoporose e que podemos viver com melhor saúde quando nos abstemos de os ingerir.
Na realidade, o número de cientistas que acha que o leite e seus derivados não são bons para a saúde cresce todos os dias: Frank Oski (médico, director do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina John Hopkins e Médico-Chefe do John Hopkins Children’s Center), Walter Willet (médico, presidente do Departamento de Nutrição da Harvard Public School e Professor de Medicina da Faculdade de Medicina de Harvard), Lawrence Kushi (nutricionista, responsável por inúmeros estudos epidemiológicos e professor de Nutrição na Faculdade de Columbia de Nova Iorque), Colin Campbell (médico, Professor na Faculdade de Medicina de Cornell e responsável pelo maior estudo de nutrição até hoje realizado, o China Health Project), o falecido Benjamin Spock (médico), Neal Barnard (médico), John McDougall (médico) e muitos outros nomes conhecidos na comunidade científica internacional têm escrito e realizado alocuções públicas em que condenam veemente o uso dos produtos lácteos, afirmando que toda a publicidade feita aos mesmos não passa de uma fraude científica encabeçada por empresas comerciais.
Citando Walter Willet no recente livro publicado pela Escola Médica de Harvard, “Eat, Drink and Be Healthy”: “… os produtos lácteos não deviam ocupar o lugar proeminente que ocupam na Pirâmide Alimentar do Ministério da Agricultura Americano, nem deviam ser o cerne da estratégia nacional para prevenir a osteoporose. Em vez disso, os factos mostram-nos que o cálcio alimentar deve ser oriundo de uma variedade de fontes…”, ou “…mas o leite dá-nos mais do que apenas cálcio e alguns dos seus componentes – como calorias extra, gordura saturada, e açúcar conhecido como galactose – não são necessariamente bons para si. E mais, cerca de 50 milhões de adultos nos Estados Unidos não conseguem digerir completamente o açúcar conhecido como lactose. Como não o consegue fazer a maioria da população mundial”.
Sei que o que está a ler lhe pode parecer chocante, mas considere os seguintes factos:
Países do Mundo com maior consumo de lacticínios per capita: Finlândia, Suécia, Estados Unidos da América, Inglaterra.
Países do Mundo com maiores índices de osteoporose per capita: Finlândia, Suécia, Estados Unidos da América, Inglaterra.
Ingestão de cálcio na China rural: metade da ingestão da população americana.
Fracturas ósseas na China Rural: 5 vezes menos do que na população americana.
O que os diferentes estudos científicos apontam, praticamente sem excepção, é que absorção de cálcio depende de muitos mais factores do que a simples ingestão de lacticínios; os factores mais importantes parecem ser:
O tipo de alimentação que se tem – Uma alimentação com alto teor de proteína de origem animal como é a alimentação moderna, faz com que o organismo excrete muito mais cálcio; quanto mais proteína animal comemos, mais cálcio perdemos.
O grau de actividade física – A actividade física é essencial para a fixação de cálcio nos ossos; um pequeno passeio diário de meia hora pode operar maravilhas no que toca à prevenção da osteoporose.
Produção de hormonas reprodutoras como estrogéneos e testosterona – Redução na produção destas hormonas (estrogéneos nas mulheres, testosterona nos homens) torna difícil produzir e recriar massa óssea.
Vitaminas D e K – Estas vitaminas desempenham um papel importante na absorção e fixação de cálcio.
Apesar de a osteoporose não ter que ver apenas com o consumo de cálcio este é no entanto necessário; contudo, os lacticínios não são de forma alguma os únicos detentores deste mineral. Os vegetais verdes de rama fornecem a mesma quantidade de cálcio do que o leite, assim como por exemplo as oleaginosas.
As algas contêm uma quantidade muito superior de cálcio, algumas como a Hiziki, 14 vezes mais de cálcio por 100 gramas.
Em debates ou conferências em que menciono a quantidade de cálcio doutros alimentos é-me geralmente respondido que é verdade que outros alimentos contêm a mesma ou uma maior quantidade de cálcio, mas que este não é bem absorvido no sistema digestivo, não é “bio-disponível.”
Os factos, parecem contudo ser diferentes. Segundo o “American Journal of Clinical Nutrition” a absorção de cálcio de diferentes alimentos é, por exemplo, a seguinte:
Couve de Bruxelas – 63.8%
Brócolos – 52.6%
Rama de nabo – 51.6%
Couve – 50%
Leite de vaca – 32%
Portanto, não é apenas possível obter cálcio a partir de muitos outros alimentos, como é tão bem ou melhor assimilado que no leite de vaca.
Gostaria de frisar que não sou contra o consumo de lacticínios, apesar de achar que é perfeitamente dispensável, se assim se desejar; publicitar o seu uso como sendo absolutamente essencial para a saúde, nomeadamente para a osteoporose é, no mínimo, revelador de falta de informação e parece-me também ser pouco ético. Até hoje, ainda não vi qualquer estudo onde tal conclusão fosse evidente e inequívoca.
Mas, para além do tema da osteoporose, os lacticínios podem também não ser tão benéficos para a saúde como nos diz a publicidade, em especial quando consumidos em enormes quantidades como o faz a população moderna.
Pessoalmente, acredito que existe uma certa ordem natural que devemos seguir e dentro dessa ordem não somos um ser com características para ingerir leite ou derivados: como mamífero que somos, a ordem natural (que se aplica a todos os mamíferos) é sermos amamentados com leite materno até cerca de um ano, para depois sermos desmamados e começarmos a comer alimentos sólidos.
Na realidade, o ser humano é o único animal que após desmamado continua a ingerir leite e ainda por cima de uma outra espécie. Basicamente, o leite de vaca é um alimento ideal para nutrir um bezerro que aumenta nas primeiras semanas cerca de 37 quilos; um bebé humano, no mesmo espaço de tempo, aumenta apenas 1 a 2 quilos.
Walter Willet, professor de nutrição na prestigiada Universidade de Harvard, mencionado por mim no último artigo, cita e corrobora com factos aquilo a que ele chama o “Lado Negro do Cálcio e dos Produtos Lácteos” . Para ele, as principais razões para evitar o consumo de leite e produtos lácteos são:
Intolerância à lactose
Gordura saturada
Calorias extra
Aumento do risco de cancro na próstata e possivelmente um aumento de risco de cancro nos ovários
.
Dos pontos acima citados, gostaria de referir:
Intolerância à lactose - A maioria da população mundial é intolerante à lactose, o açúcar presente no leite de vaca. A maioria das pessoas após os 4 anos de idade perde a capacidade de fabricar lactase, o enzima responsável pela digestão da lactose e apenas 25% da população mundial consegue digerir bem o leite. A intolerância à lactose manifesta-se em sintomas como diarreia, prisão de ventre, cólicas, náusea. Dos diferentes grupos étnicos, a intolerância à lactose é a seguinte: de descendência asiática – 90 a 100%, de descendência africana – 65 a 70%, de descendência hispânica ou italiana – 50 a 70%, de descendência caucasiana – 10%.

Gordura saturada – A gordura presente nos lacticínios é gordura saturada, responsável pela obstrução dos vasos sanguíneos que está na origem da maioria das doenças cardiovasculares modernas.

Cancro na próstata – Em nove estudos independentes sobre o desenvolvimento do cancro na próstata, o factor mais forte e consistente ligado a este tipo de cancro foi o consumo elevado de lacticínios. No maior destes estudos o “Health Professionals Follow-up Study”, os homens que bebiam 2 ou mais copos de leite por dia tinham mais do dobro das hipóteses de desenvolver cancro da próstata avançado ou com metástases do que aqueles que não bebiam leite nenhum.

Cancro nos ovários – Existe um número significativo de estudos que apontam para a hipótese de o cancro nos ovários estar ligado ao consumo de produtos lácteos e apesar de tais estudos não serem conclusivos, a ligação parece ser demasiado forte para não ser considerada.

Antibióticos – O uso de antibióticos misturados na ração diária das vacas é enorme. Nos Estados Unidos, por exemplo, a vasta maioria dos antibióticos é utilizada nos animais e não em pessoas (isto apesar do seu uso em hospitais ter aumentado 100 vezes em 35 anos). Esses antibióticos acabam por ir parar ao leite e à carne, o que não me parece de todo ser benéfico. É bem possível que a resistência crescente de algumas bactérias aos antibióticos esteja ligada ao seu uso indiscriminado na cultura pecuária.
No meu caso pessoal deixei de consumir leite e produtos lácteos (um alimento que consumia em quantidades copiosas) há 24 anos e pouco tempo depois os sintomas de uma colite e de uma sinusite desapareceram completamente, até hoje. Na realidade, tenho testemunhado num número incontável de pessoas, melhoras extraordinárias em problemas como colite, sinusite, otite, asma e outros problemas respiratórios, alergias, quando deixam de consumir lacticínios e, em especial, quando deixam de comer lacticínios e açúcar.
Tenho a noção de que os dados apresentados nestes dois artigos sobre o leite são perturbadores, em particular quando a maioria da informação veiculada pela publicidade e comunicação social nos diz que este é essencial. Deve no entanto considerar que a informação veiculada pela publicidade pode não ser consubstanciada por factos. Nos Estados Unidos, por exemplo, a FDA (Food and Drug Administration) proibiu as empresas produtoras de lacticínios de colocarem nas embalagens qualquer publicidade referente às vantagens destes alimentos porque de acordo com as regras da FDA é obrigatório corroborar as frases publicitárias com factos concretos e estes nunca são apresentados.
Não pretendo de todo com estes artigos semear o pânico ou ser o arauto da desgraça. Penso no entanto que é meu dever alertar e mostrar o outro lado da moeda, de forma a que se possa questionar o que às vezes parece ser inquestionável, informar-se e assumir tomadas de decisão conscientes sobre o estilo de vida e alimentação."

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Como Regular as Transaminases?

imagem copiada net

O figado é um dos orgãos do corpo humano que mais sofre agressões no dia-a-dia.
Nada lhe escapa, tudo passa por ele.
São as emoções, a alimentação inadequada, o sedentarismo, os agrotoxicos, os conservantes, corantes e aditivos, tudo novo para um orgão muito antigo.
A nivel da alimentação, é provavel que nosso organismo não esteja preparado para metabolizar os  novos "alimentos" e que isto contribua para os depositos de gordura no figado.

Como responde o figado ás agressões?
Bem, responde como a maioria dos outros orgãos, que é aumentar de volume (hepatomegalia), no entanto temos neste momento ao nosso dispor exames laboratoriais para avaliarmos o orgão.
Uma dessas provas é a analise das transaminases, que tendem a estar elevadas quando há alguma doença ou alteração relacionada com o figado.

Dieta e Nutrição para baixar as Transaminases

Evitar de todo o álcool, o café, os lácteos e as comidas gordas, entre elas a carne.
Em caso de pouco apetite, é preferível não encher o prato e dividir a quantidade em varias refeições, além disso pode tomar suplementos nutricionais como o pólen, a geleia real, a levedura de cerveja e algas marinhas especialmente a alga Chlorela.
Insista nos Sucos verdes e no de beterraba.


Plantas para baixar as Transaminases
Extrato de Cardo Mariano

Uma das planta a tomar obrigatoriamente é o Cardo Mariano (Silybum Marianum)
Sabe-se que o seu principio ativo, a Silimarina é capaz de reverter um dano já ocorrido aos hepatócitos.






Extrato de desmodium

Outra não menos importante é o Desmodium ( desmodium Adscendens) 
Planta africana usada à muito por curandeiros para tratar doenças hepáticas. 
Sintomas como fadiga, dor de cabeça, perda de apetite e pele amarela desaparecem no primeiro mês de tratamento.
Um estudo realizado no hospital de Bamako no Mali envolvendo 47 pacientes com Hepatite B, mostraram que a administração de Desmodium leva a uma diminuição rápida da icterícia, das tansaminases e da bilirrubina.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Medicamento Homeopático para Vertigens

imagem copiada net

Vertigens e tonturas estão entre os sintomas mais frequentes em todo o Mundo.
São perturbações do equilíbrio corporal e podem ser de origem visual, neurológica ou psíquica, podem ser acompanhadas de náuseas, vómitos, transpiração, palidez e sensação de desmaio.

Tonturas e vertigens não são doenças, são sinais de alarme de que algo não está bem no organismo, podem estar presentes na doença de Ménière, doença do ouvido médio, cinetose (doença do movimento), surdez súbita, na esclerose múltipla, etc

VertigoHeel é um medicamento homeopático complexo (vários ingredientes) e está indicado para vertigens de etiologia diversa.
Pode ser tomado para vertigens derivadas da doença de Ménière (tem ajudado algumas pessoas) como para vertigens de origem arteriosclerótica ou outras.

Vertigohel Gotas
De uma forma geral deve-se tomar 15 a 20 gotas diluídas num pouco de agua, 3 vezes ao dia fora das refeições.
 Deixar meio minuto o liquido na boca, engolir de seguida.
Na fase aguda, no momento da vertigem pode-se tomar 10 gotas de 15 em 15 minutos.

Tratamento Natural do Acne

imagem copiada net

Acne é um desequilíbrio que se manifesta geralmente nos adolescentes de ambos os sexos. As lesões da acne situam-se geralmente na face, ombros e costas.
É um desequilíbrio de superfície, de “calor” que o organismo extravasa através da pele, não deve ser reprimido, interiorizado, deve ser feita uma análise ao que está a provocar “este calor”.
 Ou uma alimentação quente ou emoções quentes, ou as duas associadas?

O intestino é muito importante na Saúde, se ele não se mover adequadamente todos os dias (se não evacuar todos os dias e preferencialmente duas vezes), os resíduos não são eliminados tão rapidamente como deveriam ser e entram na circulação sanguínea sobrecarregando o corpo com matéria toxica.
O nosso grande amigo Fígado fará o seu trabalho, de filtrar o sangue mas só fará o que poder, muitas vezes também ele precisa de ajuda, já que o incumbiram de limpar tanto o sangue como as más emoções.
A pele como grande órgão de eliminação, vai libertar atravez dela os excessos de resíduos tanto em forma de acne, como eczema ou outros problemas de pele, por isso não devemos de fechar a porta a este emunctório que a Natureza nos deu.

Alimentação
A alimentação deve ser o primeiro “medicamento” a ser considerado.
Neste caso, é ter uma alimentação anti-inflamatoria.

Evitar: Carnes (principalmente vermelha e nomeadamente o porco), leite e todos os lácteos, açucares, farinha branca e chocolate.
Todos os alimentos pré-preparados e fritos.
Atenção ás especiarias quentes.

Consumir: peixe, muita fruta e muitos legumes, se for em forma de salada melhor.
 Cenoura - deve ser consumida em grandes quantidades (crua), todos os dias tomar um suco de cenoura com maçã, além de ser uma delícia, é depurativo do fígado, rica em Vitamina A, uma grande ajuda na acne.
Leite de sementes de Girassol – esta semente é rica em zinco, um elemento em carência quando há acne.
Outros alimentos importantes: damascos secos, espinafres, brócolos, batata-doce, cogumelos, arroz integral.

TPC – trabalho de casa
Banho de vapor facial- ferva folhas de eucalipto, ou camomila, deite a infusão fumegante numa taça. Cubra a cabeça com uma toalha e apanhe o vapor, os poros vão dilatar o que permite limpar a pele. Fazer todas as semanas.

Argila – faça uma mascara de argila, aplique nas zonas do acne quando seco retire com agua morna, por fim salpique toda a cara com agua fria.
A argila tem sido usada desde da antiguidade pela sua capacidade de absorver toxinas e regenerar a pele.
Fazer 1 a 2 vezes por semana.
- Lavar a pele com sabonete de enxofre.

Plantas para o Acne
 - Dente de Leão – é bom depurativo do organismo, ajuda o fígado nas suas funções e é ligeiramente laxante. Rico em vitaminas B e C.
- Cavalinha - é uma planta diurética e depuradora do organismo, rica em minerais.
- Fumaria – o ácido fumárico regula a secreção biliar e controla o metabolismo da pele, o que faz com que esta planta seja recomendada para a psoriase.
- Bardana – é a rainha em qualquer problema de pele devido ao seu grande poder depurativo.
As plantas acima, podem ser bebidas em forma de chá, ou comprar em extrato já preparado.

Não podemos descurar a parte mental, e perceber que a acne surge no desabrochar da sexualidade. Há quem defenda que uma sexualidade bem vivida é o melhor remedio para a acne.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Tumores crescem mais rápido após quimioterapia

imagem copiada net

A noticia resulta de um estudo que foi publicado aqui e a aqui
Uma equipa de pesquisadores do estado de Washington teve um grande “Oops” quando acidentalmente descobriram que a quimioterapia alimenta o crescimento e a disseminação das células cancerosas, tornando-as mais difíceis de destruir uma vez iniciado a quimioterapia, visto que esta sustenta o “alimento” do crescimento do tumor, tornando-o altamente resistente a tratamentos futuros.
As descobertas foram relatadas na revista Nature Medicine, onde os cientistas dizem ter encontrado evidencias de danos no ADN significativos, em tecidos derivados de homens com cancro de próstata e que fizeram quimioterapia.
De acordo com o estudo a quimioterapia induz células saudáveis a libertarem WNT16B, que é uma proteína que ajuda a promover a sobrevivência e o crescimento das células cancerosas.
O autor Peter Nelson Do fred Hutchinson Cancer Research Center em Seattle, acrescenta: “ WNT16B quando é secretada vai interagir com outras células tumorais e leva-las a crescer, invadir, e mais importante a resistir à terapia subsequente”. Sobre estes resultados, ele os apelidou de “completamente inesperados”.
Sei que este tipo de noticias não agrada a todos, nem aos doentes, porque vai obriga-los a tomar decisões, obriga-los a pensar. Visto que o protocolo para a maioria dos cancros é quimioterapia, como fica a cabeça de alguém que a tem de fazer, mas toma conhecimento disto?
Não é minha intenção, levar o doente a um estado indeciso, pelo contrario, todo o doente deve estar consciente daquilo que escolhe para si, mas não consigo ficar calada, até porque quando o Homem olha em volta e se interroga, escolhe novos caminhos e avançamos Todos.
Fonte: Traduzido e adptado por Fernanda Ferreira

Leite de amêndoa

imagem copiada net

Um dos leites cá de casa é o Leite de amêndoa.
Uma das formas que tive para controlar as alergias da minha filha quando pequena, foi interromper o consumo de leite de vaca e substitui-lo por outros que além de não prejudicarem, são muito mais ricos.

O leite de amêndoa é uma bebida que devia ser usada diariamente, da criança ao idoso, especialmente em Portugal, onde existem tantas amendoeiras.

Estes frutos secos, são fortificantes ricos em zinco, que é um poderoso estimulante do sistema imunológico.
O leite de amêndoa é uma bebida remédio para crianças com hiperactividade ou défice de atenção e para quem quer ser bom aluno. Pode-se comer os cereais pequeno-almoço com este leite.

As amêndoas devem ser comidas por todos aqueles que tenham problemas de circulação e doenças cardiovasculares, pois estas são riquíssimas em gordura insaturada que “limpa” as artérias.

Têm uma ação alcalina no nosso organismo, ajudam a equilibrar o PH do sangue, uma mais valia em todos os problemas de saúde.
 Um alimento para a prevenção do cancro.

Ricas em ferro. Obrigatório nas anemias.

Ajudam a emagrecer.São calóricas? 
São, mas a obesidade não é unicamente um resultado de excesso de calorias, é uma doença inflamatória, daí as amêndoas que combatem a inflamação apresentarem resultados positivos.

São concentrados de proteínas, mais do que o ovo.

Um estudo mostrou que as amêndoas têm propriedades que protegem o corpo contra a diabetes tipo 2.

As amêndoas não têm gluten, por são uma alternativa saudável para as pessoas com alergia alimentar ao trigo e doença celiaca.

São excelentes antioxidantes com muita fibra, riboflavina, magnesio, calcio e vitamina E, etc...

Como faço o leite de amêndoas?




Normalmente compro amêndoas com a casca e parto-as em casa, mas também se pode comprar amêndoas já descascadas.








À noite ponho um punhado de amêndoas (umas 20 para um copo de leite) em agua para hidratarem.








De manhã, tiro-lhes a pele ou não, deito no liquidificador com um copo de agua.
 De verão uso agua fria, de inverno agua morna.

Bato muito bem.






Coo num passador fino, ou num pano.










O extrato que fica pode ser aproveitado para fazer bolinhos ou outras receitas.








Fica um leite delicioso, um dos mais nutritivos que existe, sem os problemas da lactose e da caseína.
Mantém-se no frigorífico por 3 a 4 dias.







quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

4 Alimentos Alcalinos que deve comer todos os dias


Penso que nunca houve tanta fartura de alimentos. Temos hipermercados a fazer fronteira com outros e todos eles cheios de produtos alimentares, são prateleiras cheias de cores e rótulos atrativos, tudo feito e pensado de forma a nos satisfazer.

No entanto a maior parte destes alimentos quando consumidos e metabolizados pelo nosso organismo deixa internamente um resíduo ácido, e uma das coisas mais importante para se aprender na prevenção de qualquer doença, é que o corpo tem de equilibrar os níveis do sangue num PH ligeiramente alcalino de 7,36 para sobreviver.
Comer excesso de alimentos formadores de acido pode ter consequências desastrosas para a nossa saúde, como “acidose” que é um diagnostico comum em diabetes, por isso um dos tratamentos mais adequados seria a ingestão preferencial de alimentos alcalinos.

Para combater a dieta de hoje essencialmente ácida recomendo 4 alimentos, que comidos diariamente podem ajudar o corpo nessa luta pelo equilíbrio:

Limão
O limão pode ser o alimento mais alcalinizante de todos.
Dá alivio imediato na hiperacidez, energiza o fígado e promove a desintoxicação.
Deve ser bebido diariamente.




Vegetais de Raiz
São vegetais considerados mais “yang” pelo olhar oriental, por isso são mais ricos em minerais que os outros vegetais. São eles os rabanetes, a cenoura, a beterraba, o nabo e o rábano. Podem ser consumidos cozidos ou crus. 
A cenoura e a beterraba uso em sumo e raladas, os restantes uso-os ralados.




Vegetais Crucíferos
Estes vegetais devem estar diariamente o nosso prato, são as couves-flor, os bróculos, os repolhos e outros.






Folhas Verdes
Não somos herbívoros, mas precisamos das folhas verdes tanto para prevenção como para cura de doenças. Elas são riquíssimas em vitaminas, minerais, fotoquímicos e clorofila. Promovem a alcalinização.
Folhas de couve, nabo, espinafre, agrião, coentros, salsa e alface devem ser comidas diariamente.

A maior parte das crianças não toca nos alimentos citados acima, penso que é deveras importante os pais irem incentivando, dando o exemplo pela introdução destes alimentos de resíduo alcalino, pelo bem deles próprios e da sociedade futura.

A prevenção, o tratamento ou a cura de qualquer patologia tem de obrigatoriamente passar pela ingestão destes alimentos de forma a criar um Ph adequado à vida das nossas células.